sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Contagem regressiva: 3,2, 1! O 15º Festival Cena Brasil mostra toda sua interface cultural, neste final de semana

Festival Cena Brasil 2012. Foto por Vinícius Rodrigues
Serão 10 bandas e grupos culturais este ano, entre mais de 300 inscritos, que vão se apresentar no palco do 15º ano do Festival Cena Brasil. A seleção foi feita pela curadoria do evento e chegou-se à grade musical e cultural com os perfis do festival. As dez atrações foram escolhidas para se apresentarem no tradicional evento. No sábado (16), os shows acontecem a partir das 18h, com Pisada do Mestre, Valdir Afonjah, Carranza e Zé Lamúria. Os nomes que vão agitar os 15 anos no Cena Brasil do domingo (17), às 15h, são Banda Marlevou, Pax Nindi (Inglaterra), Ancestral (Jorge Riba), Maracatu Nação Camaleão, Lamento Negro e o projeto Vem Dançar Olinda.

Dignidade Humana e Paz

O evento é gratuito e tem como tema, este ano, o slogan Dignidade Humana e Paz. Grupos de brincantes vão homenagear também a criação do Dia Nacional do Maracatu, instituído através de Lei Federal. As atrações tiveram seus currículos analisados no processo seletivo realizado pela curadoria do evento. Em mais um ano, o projeto realiza duas oficinas de capacitação. Uma de rádio e outra de filmagem, com aulas teóricas e práticas. Outro plus ficará por conta da realização do “Ato político cultural em defesa da igualdade racial”, realizado por diversos ativistas da consciência negra em Olinda e com a participação de grupos e manifestações afro-brasileiras. O manifesto vai acontecer no domingo (17.12), no Pátio do Fortim, na orla do sítio histórico, às 16h.

Dia Nacional do Maracatu

No ambiente do Festival Cena Brasil será celebrado também a aprovação do Dia Nacional do Maracatu, instituído por unanimidade pela Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados. A Lei fixou o dia 1º de agosto como Dia Nacional do Maracatu. A data é uma homenagem a Luiz de França, o “Mestre Luiz”, que comandou o Maracatu Leão Coroado, de Pernambuco, por 40 anos e morreu há 15. O Leão Coroado é o mais antigo grupo sem interrupção e completou 155 anos em 2017.

SERVIÇO:

15º Festival Cena Brasil | Edição 2017

No pátio do Fortim do Queijo, Carmo, Olinda
Sábado (16.12), a partir das 18h, shows do Coco na Pisada do Mestre, Valdir Afonjah, Carranza e Zé Lamúria.
Domingo (17.12), às 15h, acontecem as apresentações das bandas e grupos Marlevou, Pax Nindi, Ancestral (Jorge Riba), Maracatu Nação Camaleão, Lamento Negro e o projeto Vem Dançar Olinda.

Aberto ao público.

#CenaBrasil2017 #15Anos #DignidadeHumanaPaz #Olinda #Cultura #Pernambuco


quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Domingo: maracatu, reggae e o som universal de Pax Nindi

Festival Cena Brasil 2012. Foto: Vinícius Rodrigues
No segundo e último dia do evento (domingo – 17), o 15º Festival Cena Brasil apresenta a proposta de um mix, que vai do maracatu ao reggae, música regional e a apresentação do inglês Pax Nindi, que traz uma mistura de África com Europa. 

Confira as atrações, uma a uma, e conheça mais sobre o trabalho dos artistas do Cena Brasil 2017. Confira!

Vem Dançar Olinda

O projeto Vem Dançar Olinda é uma iniciativa cultural que tem o intuito de desenvolver junto à população da região metropolitana do Recife e seus turistas a nossa cultura, através de diversas apresentações de dança com ritmos diferenciados. O Projeto que estáem seu terceiro ano, já está na sétima edição e vem sempre inovando e atraindo artistas e dançarinos profissionais (professores de dança) de diversos segmentos, transformando o evento em um verdadeiro festival de ritmo e dança popular ao ar livre. Nas suas apresentações e performances artísticas, os grupos desenvolvem suas atividades de forma competente e experiente, expondo na dança as raízes da cultura popular, mostrando seus verdadeiros valores. Serão apresentados variados ritmos regionais unidos às expressões dançantes e seus compassos. Com destaque para ritmo do Forró e Zumba. Segura o passo! Vamos dançar pra não dançar!!!

Lamento Negro

O bloco afro Lamento Negro completou 30 anos de existência no carnaval de 2017. Surgiu nos anos 1980 em Olinda, formado por um grupo de jovens, com o intuito de animar os fins de semana da comunidade de Peixinhos. Foi aos poucos entrando no cenário musical pela qualidade e peculiaridade do som que o grupo executava, a princípio inspirados nos afoxés e maracatus de Pernambuco, e no samba reggae de Salvador. No início dos anos 1990, Chico Science conhece o grupo e começa a ensaiar com eles, criando Chico Science e Lamento Negro, o que mais tarde se tornaria Chico Science e Nação Zumbi, com os mesmos integrantes (Gilmar Bola 8, Maia Nomoni, Toca, Maureliano, Pácua) entre outros. O grupo tem como estilo o afro pop, músicas de influências afro, ijexa, afoxé e maracatu.

Ancestral (Jorge Riba)

Jorge Riba, batizado Jorge José de Oliveira Ribeiro, nascido em Recife em abril de 1965, criado entre o Morro da Conceição e nas praias de Rio Doce (Olinda/PE), tem DNA de carnaval, de maracatu, de afoxé, de samba e de candomblé. Iniciou a sua vida religiosa ainda jovem, com a militância no movimento negro. Ainda em sua adolescência, veio a preocupação com o resgate das tradições africanas no carnaval e daí surgiu o brincante e artista Jorge Riba (1981). Compositor e percussionista, sócio fundador dos afoxés mais antigos dos quais foi compositor, produtor de festivais de arte e cultura negra, fundador do Movimento de Compositores de Samba de PE e sua Mesa de Samba Autoral. É componente do projeto “Zé Cafofinho e Suas Correntes” e lançou seu trabalho solo O Fino do Samba em 2006. Em 2010, lançou o CD Meu Recado, com 15 faixas autorais, e tornou-se uma das referências do samba em seu estado. Foi entrevistado na revista RAÇA BRASIL Jul/2011, participou do Brasilian Carnival Festival na Inglaterra (2012) e também foi convidado do sambista Diogo Nogueira, no programa Samba da Gamboa.

Maracatu Nação Camaleão

O Maracatu Nação Camaleão foi fundado em 08 de abril de 1990, em Olinda, pelo percussionista Márcio Carvalho e amigos. Considerado atualmente um dos mais completos percussionistas do estado. O desejo de mostrar a arte e a cultura pernambucana foi levando o grupo aos palcos do Sitio Histórico de Olinda e aos Monumentos do Recife. Nestes 27 anos,o grupo consolidou-se no cenário da cultura pernambucana como símbolo de resistência. O Maracatu Nação Camaleão começou seu trabalho no bairro do Varadouro. A nação realizou seu primeiro desfile, na cidade de Olinda, com ajuda da comunidade e amigos e, principalmente, da nossa madrinha Dona Euda do Maracatu Porto Rico, que providenciou a roupa da corte. O desfile hoje é uma grande celebração na cidade de Olinda. No fim da tarde do Sábado de Zé Pereira, na Rua da Boa Hora, tem início o ritual religioso de saída oficial do Maracatu Nação Camaleão, com em média 100 componentes. Já participou de eventos nacionais e internacionais.

Marlevou

Com as atividades iniciadas em 2013, a banda Marlevou leva para o reggae as influências regionais que permeiam a formação dos seus músicos. O nome do grupo foi criado a partir da reflexão dos componentes, que residem nas cidades do Recife e do Paulista, sobre os danos causados à natureza pela ação do homem. Além da proposta de consciência ambiental, o grupo produz uma música que vai além do reggae raiz, passeando por estilos genuinamente pernambucanos como o frevo, a ciranda e o maracatu.

Pax Nindi

Nascido no Zimbábue, Pax Nindi, também conhecido como Harare Dread é uma referência quando o assunto é música africana e reggae de raiz. Com mais de 30 anos na estrada, Nindi é conhecido pelas composições que questionam, entre outros assuntos, os valores familiares, preservação do meio ambiente, sobrevivência de seu povo, o sistema socioeconômico e político global. Pax Nindi, exilado no Reino Unido, no início dos anos 2000 ganhou destaque com sua trajetória musical na cultura africana, caribenha e nos últimos anos no Brasil. Esse ano ele volta ao Brasil para se apresentar no palco do Festival Cena Brasil, em Olinda. Seus recentes trabalhos no Brasil contaram com a participação de vários músicos locais como Jorge Riba, Marcelo Santana e Maracatu Porto Rico. Já para os próximos shows, sua banda contará apenas com músicos locais.



Fontes dos textos: Assessoria de Comunicação das bandas

#CenaBrasil2017 #15Anos #DignidadeHumanaPaz #Olinda #Cultura #Pernambuco

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Sábado: do autêntico coco ao regionalismo e rock

Festival Cena Brasil 2013, na praça do Fortim, Olinda.
Agora chegou a vez de conhecermos cada uma das atrações que vão levar a pluralidade de ritmos e sons, um colorido todo especial ao 15º Festival Cena Brasil. As apresentações do sábado (16) têm destaque pela diversidade de sons. Do autêntico coco ao regionalismo e o rock, o sábado promete muito. Confira um pouco da história das bandas e grupos que vão se apresentarem neste dia.

Coco Na Pisada Do Mestre

O Coco na Pisada do Mestre foi fundado em Recife, no dia 17 de maio de 2015, por um grupo de jovens músicos, com o objetivo de preservar e divulgar o coco de roda ou samba de terreiro, ritmo típico do Nordeste. O nome do grupo surgiu com o intuito de manter a cultura dos mestres do coco pernambucano, propagando o ritmo contagiante e tipicamente nordestino. Formado por oito músicos, que se dividem dinamicamente entre percussão e vozes, o grupo apresenta um rico e diverso repertório, composto por músicas próprias que interagem com letras de domínio público em uma nova roupagem. Mistura o coco de roda ao xaxado, ao hip hop, a puxada de rede e ao maracatu, entre outros ritmos.

Valdi Afonjah (RECITAL)

É uma performance, no formato de Pocket Show, de voz e violão que o músico, cantor e compositor Valdi Afonjah apresentará no Festival Cena Brasil 2017, com canções de sua autoria e também dando voz a um repertório que vai de Mestre Zé Duda de Nazaré da Mata a Luiz Melodia, Jorge Mautner, Belchior, Bob Marley dentre outros, em versões de reggae acústico, repassando 30 anos de carreira e memória musical.

Carranza

Buscando resgatar o auge do rock pernambucano e nacional que repercutiu no país na década de 1990 e andando, literalmente, na contramão o CARRANZA! voltou à estrada com a proposta de resgatar a seriedade do rock nacional valorizando a cultura de Pernambuco. O grupo criado inicialmente em 1996 lançou dois demos em 1998 e 2000. Em 2003 acabou e, após 12 anos, em 2015 resolveram encarar novamente o desafio de fazer música com verdade, num mercado cada vez mais complicado. Lançaram, no início de 2017, o meio disco Santa Morte para consolidar esse retorno, junto com 5 vídeos nas plataformas virtuais de divulgação. O grupo tem as suas influências dos anos 1990 como o rap, hard core, metal, tendo como referências a inoxidável rebeldia do Rage Against the Machine, Biohazard, Deftones e os improváveis arranjos do Red Hot Chilli Peppers e Infectious Groove e Primus.

Zé Lamúria

Formada em meados dos anos 1990, a Zé Lamúria despontou no cenário MangueBeat e tocou em grandes festivais da cena pernambucana como, Recife Rock Mangue, PE no Rock, Soul do Mangue, Soul do Rock, Rock na Praça e Pernambuco em Concerto, entre outros. Também abriu shows de algumas bandas de destaque da época no cenário, como Raimundos (Só no Forévis Tour), O Rappa, Ratos de Porão, Blaze Bayle (ex- vocalista do Iron Maiden), Roddox (projeto solo de Rodolpho dos Raimundos) e Mestre Ambrósio. Em 2000 e 2001 fez uma excursão nacional passando por cidades como São Luis, Natal, Maceió, Salvador, Belo Horizonte, São Paulo e Campinas, mas infelizmente em 2002 a banda foi extinta e 10 anos depois voltou com toda força e com uma nova formação. Com essa nova formação o Zé Lamúria volta com uma proposta bem mais arrojada fazendo um mix do bom e velho Rock com uma pegada mais dançante e com muito molho, viajando e bebendo na fonte da música regional com grande influência dos terreiros e das batidas efervescentes da cultura popular pernambucana. 



Fontes dos textos: Assessoria de Comunicação das bandas

#CenaBrasil2017 #15Anos #DignidadeHumanaPaz #Olinda #Cultura #Pernambuco

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Abertas inscrições para oficinas gratuitas de rádio e fotografia no 15º Festival Cena Brasil

Neste ano de 2017, o Festival CENA BRASIL comemora sua 15ª edição consecutiva. São 15 anos fomentando nossa arte e nossa cultura. A partir do dia 04 de dezembro, o CENA abre inscrições para as Oficinas de Fotografia e Rádio Comunitária (operação e locução), onde serão ministradas aulas teóricas e práticas.

Inscrições gratuitas pelo e-mail: oscipdialogos@yahoo.com.br
Período de inscrição: 04/12 a 08/12/2017
Realização: 12/12 a 15/12/2017
Maiores informações pelo fone: 3494-4478

Prioridade para alunos de escola pública, com idades entre 17 e 24 anos.

Vagas limitadas!


Cristiano Jerônimo | Assessoria de Comunicação
CJ Comunicação

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Festival Cena Brasil apresenta os dez selecionados para sua 15ª edição que acontece nos dias 16.12 e 17.12 no Fortim do Queijo

Haverá também Ato pela Igualdade Racial e homenagem ao Dia Nacional do Maracatu.

Uma mistura de cores, sons, ritmos e rostos tem data marcada para se encontrar no 15º Festival Cena Brasil, que movimenta a Cidade Patrimônio nos próximos dias 16 e 17 de dezembro, na Praça do Fortim do Queijo, na beira-mar do Sítio Histórico de Olinda. Com a pegada regional do som local e as influências mais modernas em música, estarão presentes no evento, que se classifica como uma world music vinda dos folguedos, dos brinquedos, dos folguedos regionais e de todos os ritmos. Este ano, mais de dez atrações vão incrementar o Cena Brasil. Dez atrações foram escolhidas para se apresentarem no tradicional evento.

Os nomes que vão sacudir os 15 anos do Cena Brasil são Valdir Afonjá, Banda Marlevou, Zé Lamúria, Carranza, Pax Nindi (UK-Inglaterra), Ancestral (Jorge Riba), Coco na Pisada do Mestre, Maracatu Nação Camaleão, Lamento Negro e o projeto Vem Dançar Olinda. O evento é gratuito e tem como tema, este ano, o slogan "Dignidade Humana e Paz". Grupos de brincantes vão homenagear também a criação do Dia Nacional do Maracatu, criado através de Lei Federal. As atrações foram escolhidas entre mais de 300 inscritos que tiveram seus currículos analisados no processo seletivo realizado pela curadoria do evento.

SERVIÇO: 
15º Festival Cena Brasil
Atrações: Valdir Afonjá, Banda Marlevou, Zé Lamúria, Carranza, Pax Nindi (UK - Inglaterra), Ancestral (Jorge Riba), Coco na Pisada do Mestre, Maracatu Nação Camaleão, Lamento Negro e o projeto Vem Dançar Olinda.
No Fortim do Queijo, em Olinda
Dias 16 e 17 de dezembro de 2017
Dia 16/12 às 18h e 17/12 às 16h
Entrada Franca


#CenaBrasil2017 #Olinda #Cultura #DignidadeHumana&Paz



Cristiano Jerônimo | Assessoria de Comunicação
CJ Comunicação